galeria

dOBRA
palafita-gigante-I

dOBRA

Autor Ana Laura Carvalho Nunes
Equipe Rodrigo Tedesco Guidini, Guilherme Zamboni Ferreira
País Brasil

Ao nomear este trabalho de dOBRA juntamos a intenção de um processo em andamento, uma visão de algo inacabado como as palafitas em questão, com a ideia de mudança de direção em vista de novos desdobramentos. Nesse sentido, o ato de nomear um lugar ou algo com o sentido em suspensão como as palafitas é um gesto que tem por objetivo uma abertura que busca indexar através de um novo nome aquilo que a própria linguagem carrega consigo. Talvez, não para lhe dar um novo sentido, mas para efetuá-lo de outra maneira, ainda indefinida, e que não é nem obra nem dobra, mas referente a algo que dOBRA o rejeito deixado pelo mercado em forma de subproduto inutilizado.
Para representar a dOBRA, buscamos uma conformação que expressasse uma mudança de direção, algo como uma tomada de decisão que envolvesse certa instabilidade manifestada pela forma da instalação integrada ao espaço-resto, a representação de uma segunda chance ao que mercado nos entrega em forma de projeto de habitações-produto.
Nesse sentido, a abstração formal surge como recurso retórico. Suas formas fazem referência à imensidão do universo que seria vencida por uma dobra (topológica e hipotética) no espaço-tempo, segundo a ideia de wormhole. Essa decisão projetual, assim como propomos aqui devolveria ironicamente aquilo que no contexto das palafitas, parece ter sido a solução adotada simplesmente para vencer o desnível do terreno e facilitar o acesso.
Assim, esta espécie de atalho, agora aparece misturada a um tipo de distorção ou dOBRA que seria configurada por um único túnel com, ao menos, duas “bocas”, conectadas entre si. Na centralidade da Palafita Gigante I, uma das aberturas do buraco de minhoca encosta no solo do Bairro dos Buritis enquanto a outra se posiciona na face da laje inferior do primeiro pavimento. Ao criar essa conexão, pretende-se explicitar o atalho, a dobra feita para (in)adequação do projeto arquitetônico ao local. A cor vermelha serviria para dar visibilidade à estrutura, uma vez que não se propõe acesso à palafita.

projetos
ordem por palafita / classificação / país

palafita-caverna

palafita-indiscreta

palafita-caleidoscópica

palafita-esbelta

palafita-dos-cachorros

palafita-comum

palafita-gigante-I

palafita-gigante-II