galeria

ARVORISMO URBANO
palafita-gigante-I

ARVORISMO URBANO

Autor Welisson Rodrigo De Oliveira Rocha
Equipe Larissa De Castro Dias Maciel Goes, Enderson Carlos Fernandes Da Silva, Geise Brizotti Pasquotto, Jaqueline Ortiz Julião
País Brasil

Se o bairro Buriti em Belo Horizonte adotou esse nome em virtude do tipo de palmeira que lhe era mais abundante na sua paisagem inabitada, hoje, fazendo o mesmo exercício, teríamos que designá-lo como “bairro das palafitas de concreto armado”. Sem a possibilidade de trazer os Buritis de volta, o projeto busca estabelecer uma experiência que remeta ao arvorismo como apropriação do espaço.
Partindo da condição de um “bicho que não sobe em árvore” e por isso as derruba chegando ao indivíduo consciente do quão valiosas elas são para o habitat de outras espécies, ressignificamos os pilares como troncos e as vigas como galhos para revisitarmos o lugar e trazermos conosco a certeza de que este modo de construir não pode se perpetuar como prática. Mas, também exaltarmos a persistência dos primeiros moradores que garantiram ao bairro a maior estação ecológica da cidade. O uso, marcado pelas “caixas” de pinus situadas nas extremidades das palafitas, promovem a utilização do espaço para apropriação artística e cultural, onde apresentações e shows podem ocorrer. A permanência são espaços de transição entre os espaços móveis de fluxo e de uso, onde o usuário pode estabelecer uma relação contemplativa do espaço envoltório. Esses três setores trabalham como peças que podem ser organizadas de diversas formas, se adequando a várias tipologias de palafitas e produzindo espaços variados conforme sua disposição.

projetos
ordem por palafita / classificação / país

palafita-caverna

palafita-indiscreta

palafita-caleidoscópica

palafita-esbelta

palafita-dos-cachorros

palafita-comum

palafita-gigante-I

palafita-gigante-II